Introdução à leitura do livro Grande Sertão: Veredas - Guimarães Rosa - Ciranda de Leitura Online

Atualizado: Ago 3


Realização: A Casa Frida & Confraria da Padoca





Assim como viver, este livro é muito perigoso.

É preciso coragem para adentrar neste sertão de Guimarães.

Vamos fazer isto acompanhados de convidados que se perderam e

se acharam nesta obra densa.


Pois “a colheita é comum, mas o capinar é sozinho”.

Material de apoio à introdução da leitura do livro Grande Sertão: Veredas

Walnice Galvão | Foto de Fabio Seixo

Posfácio de Walnice Galvão na 22ª edição - Companhia das Letras.

Professora emérita de teoria literária e literatura comparada da Universidade de São Paulo. Dedica-se à crítica da literatura e da cultura e ao estudo da obra de Guimarães Rosa e de Euclides da Cunha. Entre vários outros livros, publicou As formas do falso (Perspectiva), Mitológica rosiana (Perspectiva), Correspondência de Euclides da Cunha (Edusp, 1997), Desconversa - Ensaios críticos (UFRJ, 1998), A donzela-guerreira (Senac, 1998) e Le carnaval de Rio (Paris, Chandeigne, 2000). Fonte: Companhia das Letras




Carla Belintani

Texto da psicanalista Carla Belintani representante do grupo A Casa Frida.


Graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Cursando especialização em Psicanálise no Instituto Sedes Sapientiae. Realizou especialização em Intervenções Psicoterápicas em Pacientes com Transtornos Mentais Graves no departamento de Psiquiatria da UNIFESP. Atuou como terapeuta voluntária no grupo de apoio à pessoas enlutadas no SUS e no grupo de acolhimento aos enlutados por suicídio no Núcleo de Assistência Social do Instituto Sedes Sapientiae. Coordenou o grupo “conversa livre entre mães”, um espaço de acolhimento e facilitação de vínculo entre mães e bebês. Atende crianças e adultos em consultório particular. Fonte: A Casa Frida





Fernando Sabino e Clarice Lispector | Foto Divulgação

Correspondência de Clarice Lispector e Fernando Sabino sobre a leitura de Grande Sertão - Veredas





Filme do acervo da TV Cultura sobre a obra de Guimarães Rosa




José Miguel Wisnik fala sobre “Grande Sertão - Veredas”




Raul Cortez e Marlene Fortuna na montagem de Antunes Filho da obra “A Hora e a Vez de Augusto Matraga” de Guimarães Rosa - 1986.


O eterno conflito entre “Deus e o Diabo na Terra do Sol.”




Neste vídeo exclusivo pra a Casa do Saber, Yudith Rosenbaum diz sobre a complexidade da leitura de Grande Sertão: Veredas. O enigma está no próprio título, Grande Sertão está o árido e o seco e nas veredas habitam sucuris e é um lugar que se você entra pode se afundar. A ideia de duplicidade do romance, “um monólogo que na verdade é um diálogo”. Um homem do sertão que ao narrar sua trajetória começa a entender sua travessia.


Vamos entrar juntos e com cuidado na leitura desta obra prima brasileira tendo o cuidado de não nos afogar nas veredas e nem tornar a experiência árdua e seca.


“A colheita é comum, mas o capinar é sozinho”.




CIRANDA DE ABERTURA: 30/07/21 - 19h30 às 21h00

Na sua casa através do aplicativo Zoom (Play Store) (Apple Store)