19/12 - "A Liberdade é Azul" aliado ao conto "Natal na Barca"

Atualizado: 19 de Dez de 2020


Confraria da Padoca promove Encontro de Cinema, Literatura e Arte.





Filme | "A Liberdade é Azul" de Krysztof Kieslowski


Através das lentes de Krzysztof Kieslowski, o não pertencimento e a ausência de elos causam uma angústia insuportável. Isto fica evidente no belo "A Liberdade é Azul", que narra a história de Julie (Juliette Binoche), que, depois de perder seu marido e sua filha, decide livrar-se do todos os vínculos com o passado. A Liberdade aqui é mostrada de maneira radical, sob a ótica de alguém que tenta se desvencilhar de toda uma vida para poder suportar a dor. Mas há um "anjo", que dorme nas ruas de Paris (Jacek Ostaszewski), que sopra através de sua flauta que "é preciso agarrar-se a algo" para poder viver.





O ser humano busca incessantemente a liberdade.


O que significa ser livre?





Será que é possível alcançar a liberdade em toda sua plenitude?


Será possível viver sem manter vínculos?





Kieslowski e Lygia Fagundes Telles nos mostram toda a beleza contida

na tragédia da vida humana.





Conto e filme transmitem esperança apesar da dor.







Conto | "Natal na Barca" de Lygia Fagundes Telles


Numa barca, cursando um rio não denominado, a narradora, um velho bêbado e uma mulher com uma criança seguem o rumo de uma cidade não identificada. "Silenciosos como mortos, num antigo barco deslizando na escuridão". Sabiam apenas que estavam vivos e que era Natal.

Vida, Morte, Tragédia e Esperança.

É para estes extremos que nos transporta Lygia Fagundes Telles, num conto em que os laços humanos são restaurados.



Leia o conto na íntegra, clicando abaixo.